Topo
Revista Living - Posts

Revista Living

  /  ARQUITETURA   /  Living Visita – Gabriel Bordin

Living Visita – Gabriel Bordin

Um dos destaques da Casa Cor SC de 2018, o jovem arquiteto acredita no papel transformador de sua profissão, capaz de interferir na rotina dos indivíduos, proporcionar mais qualidade de vida e revelar a essência de seus usuários através de escolhas bem fundamentadas

 

Fotos: Guilherme Tancredo/Divulgação

 

Ele foi um dos destaques da última Casa Cor SC, surpreendeu com suas ideias no espaço Casa Onix e pode ser considerado um dos nomes mais criativos da nova geração de arquitetos do país. Formado há cinco anos, Gabriel Bordin lembra os períodos que estudou fora do país, na Universita’ degli Studi di Firenze Facolta’ – Architettura, entre 2010 e 2011 e, mais tarde, em 2014, na University of Illinois at Chicago, onde cursou YArch, como momentos que contribuíram para a formação do profissional que é hoje.

A paixão pela arquitetura, conforme ele conta, faz parte de sua essência. Filho de arquiteto, seu primeiro contato com a profissão aconteceu ainda na infância, acompanhando a rotina de trabalho do pai. “Lembro-me de ficar fascinado vendo-o trabalhar na prancheta e, desde então, eu arriscava os primeiros rabiscos. Alguns anos depois, sua veia comerciante falou mais alto, levando-o a focar no mercado moveleiro, o que me permitiu uma nova imersão no mundo da arquitetura e do design, refletindo em minha carreira até hoje”, diz.

“Acredito que a beleza da arquitetura está nas transformações que ela proporciona, por isso, nada mais justo que nos transformarmos com ela” (Gabriel Bordin)

 

Das experiências acumuladas com o pai às viagens que realizou, Gabriel foi desenvolvendo sua personalidade dentro da profissão e, hoje, passeia com facilidade entre os diferentes estilos. “Não gosto da ideia de me imaginar preso dentro de um único estilo. De maneira geral, gosto das linhas retas, dos volumes puros, de extrair as qualidades espaciais de um ambiente, criando uma arquitetura que conversa com o entorno e também com quem a habita”, diz.

A linguagem minimalista, de certa forma, predomina em seus projetos, mas isso são significa espaços desinteressantes ou sem personalidade. Muito pelo contrário. Em suas composições, peças que revelam a essência de quem as usufrui são minuciosamente escolhidas por ele, que entende que os espaços devem se constituir de objetos carregados de história, que transmitam valores. “Acredito que a beleza da arquitetura está nas transformações que ela proporciona, por isso, nada mais justo que nos transformarmos com ela”.

A visibilidade que a participação na Casa Cor SC desse ano lhe proporcionou é um reflexo da personalidade de Gabriel. Seu ambiente, inclusive, foi o premiado na categoria Melhor uso do tema, que nessa edição foi A Casa Viva (o espaço foi destaque na Living de novembro). Atualmente, o escritório comandado por ele tem projetos em todo o estado catarinense, em São Paulo e Mato Grosso do Sul e expandir a área de atuação, inclusive para o exterior, é um dos objetivos do profissional. “Até então, tudo em minha carreira tem acontecido de maneira muito natural. Penso que devemos focar no momento, com a certeza de que o futuro nada mais é do que um reflexo do trabalho bem executado no presente”, avalia.

Rotina funcional

O escritório com sede em Florianópolis transmite a essência do profissional. Na composição, diferentes objetos que remetem às memórias de Gabriel ganham lugar de destaque no décor. Um dos diferenciais do projeto está na otimização das áreas de uso, que podem ser adaptadas conforme a necessidade da rotina. “A sala é compacta e, devido ao rápido crescimento da equipe, adotei o conceito de integração. A grande bancada, que hoje comporta quatro profissionais, inicialmente era uma estação de trabalho para duas pessoas e, conforme a demanda, poderá receber até seis arquitetos”, explica.

A equipe formada por quatro profissionais encontra um ambiente de trabalho agradável, no qual a integração favorece a troca de ideias

 

No espaço integrado, a única divisória existente delimita a sua própria sala, que também funciona como espaço para reuniões. Ela foi projetada em serralheria com vidro canelado, com a intenção de preservar a passagem da luz e manter a privacidade necessária. “Quando aberta em sua totalidade, o espaço funciona como um só, unindo a equipe e tornando o dia a dia mais dinâmico”, considera. Há também uma generosa estante, extremamente funcional para a rotina do escritório. Além dos nichos, que deixam em evidência itens queridos pela equipe, desde livros e revistas até objetos garimpados em viagens, uma grande lousa de vidro, na qual são realizadas as anotações semanais, tem localização central no móvel.

A funcionalidade é evidente em todas as escolhas. Para Gabriel, a arquitetura tem esse poder, de favorecer a convivência entre os indivíduos, ressaltar as belezas de uma paisagem no horizonte. “E todas essas escolhas geram, conscientemente ou não, um impacto muito grande em nosso dia a dia”, avalia.

Acima, detalhe da estante, com nichos que deixam em evidência materiais de pesquisa e objetos garimpados em viagens. Abaixo, a sala privativa, que também funciona como ambiente de reuniões

Matéria publicada na edição 89 – dezembro 2018 da Revista Living. Para adquirir seu exemplar, clique aqui.

 

Comentar

× Fale conosco!