ÚLTIMAS EDIÇÕES

Topo
Revista Living - Posts

Revista Living - CRIAR ♦ MORAR ♦ VIVER

  /  ARQUITETURA   /  Mostra Container coloca arquitetura sustentável em evidência

Mostra Container coloca arquitetura sustentável em evidência

Casa é a primeira de Curitiba (PR) a receber a certificação de sustentabilidade GBC, reconhecida internacionalmente

 

A primeira edição da Mostra Container, que acontece em Curitiba (PR), vem ressaltando um trabalho que está sendo desenvolvido desde 2015. Mais de 30 profissionais de arquitetura e design abraçaram a causa: projetar uma casa dentro das noções de sustentabilidade e consciência ambiental. Os 23 ambientes que compõem a casa se distribuem em 375 m² e dois setores: área de viver e estar no térreo e área de criar no primeiro andar.

Tatiana Hultmann Stavitzki, idealizadora do projeto e coordenadora geral da Mostra Container, explica que o objetivo é mostrar que é possível buscar alternativas mais viáveis, do ponto de vista da sustentabilidade, no setor da construção civil. Além disso, a casa também tem sido uma grande escola. “Durante esses três anos, os arquitetos e designers puderam desenvolver suas aptidões em construção sustentável, por meio de cursos oferecidos. Também foram feitas palestras em universidades do Paraná sobre o assunto e mais de dois mil alunos já tiveram a chance de conhecer e aprender com a ideia. Nosso grande intuito é contribuir para mudar a consciência das pessoas sobre a sua forma de viver e construir; precisamos nos unir e encontrar soluções para o problema do uso indevido de recursos naturais, estar alinhados com a visão 2050, para um mundo melhor”.

A casa que abriga a Mostra Container é a primeira de Curitiba a receber o selo sustentável na modalidade Casa da GBC Brasil (Green Build Council), categoria ouro, uma certificação de sustentabilidade reconhecida internacionalmente. Além disso, é a primeira casa de container e steel frame do Brasil a receber esse tipo de certificação. A GBC considera critérios de inovação, liderança, responsabilidade social e gestão ambiental.

 

Recursos

Além de ser construída predominantemente em container, a casa adota o método construtivo steel frame, que se gera menos resíduos do que as construções tradicionais. “De acordo com documento oficial da visão 2050 do Brasil, o setor da construção civil é um dos maiores consumidores de energia e recursos naturais. Sua cadeia produtiva é responsável por 75% da extração desses recursos, entre água, madeira e minerais, gerando cerca de 50% dos resíduos sólidos urbanos e o desperdício dos materiais pode chegar a 40%. Por isso é preciso repensar a forma de projetar e construir e adotar métodos alternativos e funcionais”, explica Tatiana.

Mais de 20% da energia elétrica utilizada é produzida na própria casa, por meio de painéis fotovoltaicos. Além disso, outras medidas foram adotadas, como o aproveitamento da luz natural com a instalação de grandes janelas, eletrodomésticos e lâmpadas mais eficientes, conjunto que proporciona uma economia de mais de 30%. Há também um sistema de aproveitamento de água da chuva, que é captada pelo telhado, tratada e abastece duas bacias sanitárias, sendo uma delas convertida para a limpeza geral da casa.

 

Paisagismo

A arquiteta e paisagista Heloisa Caparica assina o paisagismo da Mostra Container. As plantas típicas da região e perenes, com bastante folhagem verde, são predominantes, o que tornou o jardim funcional, já que elas apresentam resistência às baixas temperaturas e exigem pouca manutenção. O uso de lavandas, arruda e alecrim afasta pequenos insetos indesejados do entorno da casa, enquanto a pequena horta de temperos e vegetais cresce tranquila no jardim dos fundos. Manacás trazem cores e o perfume do jasmim exala próximo à varanda do quarto do casal. O jardim conversa com os demais ambientes e se integra harmoniosamente ao bosque nativo que possui mais de 200 árvores.

 

Iluminação

Todo o projeto luminotécnico da casa é assinado pela arquiteta Priscila Ferstemberg – profissional com o maior número de projetos executados em container no Brasil, ao todo, são 16 – e a proposta era trabalhar com o limite de 50 watts por m², para obter a certificação LEED e ser mais um ponto a favor da sustentabilidade. Mesmo assim, todos os cômodos ficaram bem iluminados, harmônicos, funcionais e são dimmerizados, possibilitando variação da luminosidade conforme as necessidades da família. Além disso, a luz natural foi aproveitada ao máximo.

 

Conheça alguns ambientes da mostra

 

Sala de Jantar e Estar

Esse ambiente é a soma do esforço coletivo da artista Tatiana Hultmann Stavitzki, da engenheira Nazaré Alves, do designer Jonathan Cardozo, da arquiteta Priscila Ferstemberg e da designer Mauren Buest. O resultado foi uma sala ampla, integrada (a porta do container que se abre favorece essa integração), com iluminação automatizada que permite diferentes cenários. Na porta principal de acesso feita de aço, há um sensor para identificação das digitais e, na área de circulação, há sistema de energia emergencial que é acionado por controle remoto e celular. O espaço foi projetado com base em 3 “A”s: Amor, Amizade e Arte. Destaque para a imponente lareira modelo europeu que traz o aconchego para uma noite perfeita entre amigos, a mesa de laca oval que dá fluidez e movimento à sala de jantar, às amplas janelas que integram a sala com o bosque e às obras de arte de renomados artistas que estão expostas em todo o ambiente.

 

Foto: Leticia Akemi/Divulgação

 

Sala Íntima

Assinada pelas designers Schaelly Campos e Mauren Buest, a sala íntima traz móveis multifuncionais projetados especialmente para a mostra a partir de matérias-primas de descarte da indústria moveleira. A composição das portas em “escama de peixe”, o baú escondido no armário e o sofá extensível que se transforma em uma grande área de descanso para a família são os destaques deste espaço acolhedor que traz em seu conceito a integração entre os elementos da natureza.

 

Foto: Leticia Akemi/Divulgação

 

Suíte dos Meninos Viajantes

Projeto dos arquitetos Rafael Wagner e Débora Pootz, a suíte teve a diversão como principal inspiração. Com a lembrança nos antigos trens de passageiros e suas charmosas cabines, o destaque é o grande beliche, com suas camas embutidas e espaço superior com futons para muitas brincadeiras. A proposta foi pensada para que o ambiente não precise de grandes mudanças ao longo do tempo, acompanhando o crescimento dos meninos, com camas no tamanho padrão e mesas soltas encaixadas no armário e abaixo da bancada, com alturas diferentes. Uma grande área livre central foi deixada propositalmente, para que o quarto seja também um amplo espaço de brincadeiras, reunião de amigos e exercício da criatividade.

 

Foto: Tatiana Hultmann/Divulgação

 

Foto: Tatiana Hultmann/Divulgação

 

Foto: Tatiana Hultmann/Divulgação

 


 

Mostra Container

Visitas agendadas

De 15 de agosto a 21 de setembro

Segunda à sexta-feira: 13h30 / 15h30 / 17h30 / 19h30

Sábado: 11h30

Local: Estrada Ângelo Pianaro, 1631, Butiatuvinha, Curitiba (PR)