ÚLTIMAS EDIÇÕES

Topo
Revista Living - Posts

Revista Living - CRIAR ♦ MORAR ♦ VIVER

  /  NOVIDADES   /  Samuel Caixeta se prepara para expor em Nova York

Samuel Caixeta se prepara para expor em Nova York

Aos 23 anos, o jovem artista plástico anuncia duas exposições internacionais na cidade que nunca dorme

 

Foto destaque: Ana Figueiredo/Divulgação

 

O ano mal começou e Samuel Caixeta está de malas prontas para Nova York – em março e maio, ele expõe na cidade americana. O jovem artista plástico, natural de Goiânia (GO), é um dos nomes promissores da arte no país. Com apenas 23 anos, já foi premiado no no International Salon of Contemporary & Urban Art de Nova York e já soma importantes exposições nacionais e internacionais. Somente em 2018, Samuel expôs no Brasil, no Carrousel Du Louvre (Paris, França), no  Museo Internazionale Italia Arte – MIT (Turim, Itália), no Wynwood Block (Miami, Estados Unidos) e levou seu projeto social “Eu acredito no seu sonho” para locais como Zâmbia (África), São Paulo, Goiânia e Bruxelas (Bélgica). Nesse projeto, o artista fala sobre suas técnicas para jovens e crianças que, muitas vezes, nunca tiveram contato com a arte.
 


 

Artista autodidata

Pintor e escultor, Samuel é autodidata, aprendeu sozinho sobre a arte e hoje tem como objetivo impactar as pessoas com o ensino da arte. Suas técnicas e estilos são variados, desde quadros abstrato-geométricos até esculturas em metal e obras neoexpressionistas em tela. Para ele, sua motivação está em transformar a vida das pessoas, mostrar que todas têm potencial e que devem lutar para concretizar seus sonhos. “As pessoas que têm dificuldades ou enfrentam algum problema tendem a ser pessimistas e meu objetivo é justamente trabalhar contra isso, mudar as crenças erradas que foram formadas em suas mentes. Desafiá-las a vencer, quebrar barreiras e restaurar sonhos adormecidos”, enfatiza.

Os projetos realizados por ele, dessa forma, são focados em uma mudança imediata, com o intuito de substituir pensamentos de derrota por ideias positivas. “A pintura é usada nas experiências porque acredito que a arte tem o poder de despertar a criatividade e o refrigério, usando o lado direito do cérebro. Durante a pintura, os alunos expressam qual o seu maior sonho e, antes deles pintarem,palestro sobre a importância de acreditar nos sonhos e não ter medo de sonhar grande”, explica.